Iniciativas Inspiradoras

Finalista do Prêmio LED

CDRA: Classificação Digital para Reenquadramento de Aprendizagem

Categoria prêmio LED:

Educação básica

Âmbito de atuação:

Nacional

Localidades:

Público do projeto:

Professores, estudantes, pais e/ou responsáveis

Tags: Professores; estudantes; famílias

Pessoas impactadas:

Mais de 5 mil estudantes atendidos

Resumo

Embora a diversidade escolar sempre tenha sido um desafio e um tema constante na educação, a Metodologia CDRA é pioneira no Brasil por oferecer um instrumento efetivo para lidar com a heterogeneidade existente em sala de aula e reduzir a defasagem pedagógica nas escolas. Oferece instrumentos com embasamento científico que permitem o desenvolvimento de ações práticas que envolvam a formação de educadores, o mapeamento das salas de aula em quatro diferentes formas de aprendizagem, e o fornecimento de material para atuação do professor no grupo heterogêneo elencado. Com isso, ao fim do processo metodológico, os educadores passam a ser mais capazes de reconhecer o direito de cada estudante ser aquilo que é, e oportunizar igualdade de condições de aprendizagem. A Metodologia CDRA trata a diversidade escolar como caminho: o seu diferencial se faz por meio do material didático do dia a dia da criança, em sintonia com a equipe Pedagógica, trazendo ganho real para os que dependem da inclusão (processos temporários e permanentes). A ação do CDRA cria uma integração entre profissionais de diversas áreas e a equipe pedagógica de cada escola, permitindo a orientação e a adequação prática do cotidiano pedagógico da criança/adolescente, a partir de seu reenquadramento, respeitando o processo cognitivo de cada grupo identificado no mapeamento, e minimizando a ansiedade da família e da equipe pedagógica. O resultado são alunos mais autônomos e atraídos pela aprendizagem, com melhora significativa da autoestima, confiança, e mais seguros para vislumbrar diferentes possibilidades quanto aos seus projetos de vida, por se sentirem aptos e empoderados.

Replicabilidade da experiência

Objetivo

Formar professores para a prática da educação inclusiva e da flexibilização curricular, oferecendo recursos e instrumentos como suporte para as diferentes formas de aprendizado e níveis educacionais dos alunos.

Problemas enfrentados pelo projeto

Reduzir relações desiguais de poder e de falta de oportunidades nos contextos educativos; diminuir a incidência de problemas como agressões físicas, psicológicas e sociais, bullying, homofobia, racismo, capacitismo e intolerância religiosa em sala de aula; oferecer metodologia formativa em uma linguagem clara e de fácil acesso às escolas, educadores, gestores e familiares; equiparar oportunidades para todos os alunos; qualificar a forma como os professores ensinam, para que possam compreender como os alunos aprendem e como acontecem as interações entre eles.

Descrição da Atividade

A Metodologia CDRA, voltada para a adaptação e a inclusão educacional, é embasada em conceitos atuais da neurociência, com o intuito de permitir que cada aluno tenha sua singularidade de aprendizagem respeitada,
potencializando o seu aprendizado e desenvolvimento.

A diversidade é o ponto de partida para a proposição de práticas inclusivas em sala de aula. Para tal, o projeto atua na desconstrução da lógica hegemônica que encara todos os indivíduos como uma massa homogênea no processo de ensino e que, por conta disso, perpetua injustiças e exclui
os diferentes. Parte do princípio de que todos os alunos são especiais e únicos, com diferentes ritmos e formas de aprender, fazendo-se necessária uma abordagem adequada às diferenças sociopsíquicas e intelectuais, propondo formas alternativas para a verificação da aprendizagem do
conteúdo escolar.

Cabe ao professor a condução da formação de competências e a colaboração no processo para que o estudante aprenda a aprender. Diante de interesses e necessidades, o educador passa a mediar processos e procura instigar o aprendiz à pesquisa e ao desenvolvimento de uma visão crítica, por meio da formulação de problemas e hipóteses, tornando o
estudante o protagonista de sua aprendizagem.

Para lidar com os desafios desta educação mais inclusiva, a Metodologia CDRA estabeleceu um fluxo de atuação estruturado em três pilares que possibilitam que os educadores sejam realmente responsáveis pelo
engajamento de seus alunos, desenhando experiências cognitivas, emocionais, sociais e culturais.

São eles:
– Pilar I, formação continuada dos professores — Realizada em plataforma de ensino a distância, oferece embasamento teórico e prático fundamental para que o professor perceba, compreenda e possa agir no contexto heterogêneo de sua sala de aula. A formação é composta por aulas teóricas – com ênfase particular no neurodesenvolvimento infantil –,
oferecendo vivências práticas e oficinas de adequação do currículo escolar às diferentes formas de ensinar e aprender. O curso foi pensado para praticar efetivamente a diversidade em sala de aula, objetivando a retomada da aprendizagem e o fortalecimento do vínculo professor/família/estudante.

– Pilar II, mapeamento das salas de aula – tem o objetivo de
instrumentalizar os professores para que possam identificar possíveis riscos ou déficits de aprendizagem em um grupo heterogêneo. Nesta etapa é aplicado um questionário junto aos responsáveis e professores, que permite reenquadrar os alunos em quatro diferentes formas de aprendizagem, com
características e demandas exclusivas, para então serem melhor trabalhadas pelo professor: Grupo I, Aprendizagem Regularizada; Grupo II, Tendência a Dificuldades Escolares; Grupo III, Tendência a Transtornos Funcionais; e Grupo IV, Tendência a Déficits Intelectuais. Estes diferentes grupos refletem a condição real do aluno diante da dificuldade e/ou déficit de aprendizagem (condição de saúde no ambiente educacional).

– Pilar III, intervenção – Etapa na qual são oferecidos instrumentos para que o professor possa agir tanto de maneira preventiva quanto remediativa no processo de ensino, em cada uma das formas de aprendizagem identificadas na etapa anterior, viabilizando ao professor a otimização do ensino e acompanhamento evolutivo do seu grupo heterogêneo em tempo real. Estes materiais didáticos, pautados pela BNCC, possuem formas diferentes de elaboração, porém com manutenção dos conteúdos
curriculares e respeito às diferentes formas de aprendizagem. São atividades e provas adaptadas para a modalidade on-line, disponibilizadas para download e impressão (em PDF), que auxiliam o professor na
otimização do ensino e acompanhamento evolutivo dos alunos em tempo real. Os conteúdos também ajudam na prevenção de defasagens pedagógicas e se propõem a alavancar o processo de ensino e aprendizagem. Ao longo do processo, a evolução dos alunos é medida com relatórios e gráficos para a mediação das intervenções necessárias,
auxiliando o professor no planejamento e acompanhando, em tempo real, da evolução pedagógica de seus alunos.

A educação inclusiva pode ser entendida como uma concepção do processo de ensino e aprendizagem que tem como maior objetivo a garantia do direito de todas e todos à educação. Essa concepção parte do pressuposto da igualdade de oportunidades e da valorização da diversidade.

Vídeos

Público direto

ALUNOS DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA) ALUNOS DO ENSINO MÉDIO ALUNOS DO SEGUNDO CICLO DO ENSINO FUNDAMENTAL COORDENADORES Criadores inovadores GESTORES ORIENTADORES Pessoas com deficiência PROFESSORES profissionais da saúde

Atividades realizadas

Elaboração de materiais de referência/consulta ELABORAÇÃO DE MATERIAIS IMPRESSOS Elaboração de página na internet / redes sociais Formação de educadores

Temas

AÇÃO EMERGENCIAL Acessibilidade Currículo DIREITOS HUMANOS Diversidade Educação básica ENSINO FUNDAMENTAL ENSINO MÉDIO ESCALA Formação do professor Impacto Inclusão Vulnerabilidades sociais

Fotos

Materiais utilizados

Plataforma de educação a distância

Materiais utilizados

Plataforma de educação a distância

Fundamentação teórica /referências:

Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva Inclusiva | Lei Brasileira da Inclusão (LBI) | Base Nacional Comum Curricular (BNCC) | Epistemologia genética, psicolinguística e teorias relacionadas às funções executivas básicas | Desenho Universal de Aprendizagem | Diversidade | Estratégias cognitivas e de aprendizagem

Monitoramento e avaliação

Os acompanhamentos dos resultados relacionados à Metodologia CDRA utilizam diferentes instrumentos para cada um dos pilares da metodologia: – Pilar I, formação continuada dos professores — O progresso dos professores é acompanhado por meio de relatórios mensais emitidos pela plataforma de ensino a distância e pela satisfação e aplicabilidade dos módulos (mediante pesquisa digital, realizada pelos professores, ao final de cada módulo). – Pilar II, mapeamento das salas de aula – É realizado em dois níveis. No primeiro, identificam o perfil de risco de aprendizagem para estudantes de 1º e 2º ano do Ensino fundamental I (ainda em processo de alfabetização). No segundo, realizado com os estudantes a partir do 3º ano do Ensino fundamental I, é mapeado a qual grupo o estudante pertence (Grupo I, Aprendizagem Regularizada; Grupo II, Tendência a Dificuldades Escolares; Grupo III, Tendência a Transtornos Funcionais; e Grupo IV, Tendência a Déficits Intelectuais). Os resultados são monitorados anualmente, com o preenchimento de novo questionário no início de cada ano letivo. – Pilar III, intervenção – São realizadas avaliações (sondagens) regulares para acompanhamento da condição pedagógica do aluno e sua evolução ao longo do ano letivo, com consequente encaminhamento de material adaptado para sua condição.

Resultados

Mais de 250 professores formados em nossos cursos de
aprimoramento piloto (carga horária de 120 horas).
● Mais de 320 cursos de formação realizados, e mais de 5 mil estudantes atendidos.
● Implementação piloto realizada em 5 escolas estaduais de São Paulo, com 2.492 alunos, com significativo aumento de 1,8 a 2,5 pontos na média obtida pelas escolas no Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo (Saresp).
● Metodologia vencedora do Prêmio Mário Covas 2017, na categoria “Melhoria da Gestão Governamental”.

● Toda a metodologia (suas bases científicas, estratégias e técnicas) está documentada no livro “A Cada Um O Que É Seu: Metodologia CDRA — Referência em Defasagens Educacionais e Adaptações”, publicado em 2020.
● Em sua versão digital, a Metodologia CDRA permite que o método ganhe escala e possa ser replicado em todo o país.
● Projeto mantido em escolas do Estado de São Paulo pela Roche Farma e beneficiado pelas campanhas “Children’s Walk” nos anos de 2020 e 2021.
● Implementação da metodologia na Sala Hospitalar do Hospital Dia Infantojuvenil (HDI) do Instituto de Psiquiatria da USP (IPQ-USP).

Iniciativa nas redes

Espaço Educacional Cultural e Esportivo Quilombo Guarani
Ofertar cursos preparatórios para as provas de seleção de escolas técnicas es...
Programa de Inclusão Social Produtiva
Contribuir para a redução da desigualdade social e promover o desenvolvimento...
Formação de Jovens Empresários Rurais da Agricultura Familiar
Oferecer, gratuitamente, curso técnico em agropecuária integrado ao ensino mé...
Desengaveta Meu Texto
Fomentar a leitura e a escrita por meio do uso de novas ferramentas de aprend...
Adote 1 Escola
Buscar soluções criativas e inovadoras para ajudar as escolas, seus alunos e ...
Programa Futuras Cientistas
Incentivar alunas e professoras de escolas públicas nas áreas de ciências, te...
Skip to content