Projetos

Vencedor Prêmio LED 2023

Educar Nestante

 

Público do Projeto

O Educar Nestante foi criado para atender aos estudantes pobres, moradores da zona rural do semiárido ou das periferias piauienses, que têm acesso a um equipamento de baixa qualidade e pouco ou nenhum acesso à internet. Estudantes dos cursos profissionalizantes, do programa de jovens e adultos e das Escolas Famílias Agrícolas também são contemplados por causa da pedagogia da alternância: nos 15 dias que estes alunos estão em casa, utilizam o Educar Nestante para consultar o material de apoio didático, assistir aulas e responder aos desafios. O perfil do grupo de interesse do Educar Nestante é composto por pessoas negras, homens e mulheres, jovens e adultos, moradores de quilombos, agricultores(as) familiares e pessoas da periferia em situação de pobreza.

Objetivos

O Instituto Ubíqua atua na profissionalização de jovens rurais e de periferia, em comunicação social e novas tecnologias, desde 2011. Neste período, criou os Ciclos de Aprendizagem, baseados na sala de aula invertida, aprendizagem ubíqua e educação contextualizada. Em 2020, a pandemia de Covid-19 escancarou a dificuldade dos alunos para acessar a internet e equipamentos adequados. Foi criado então o Educar Nestante, plataforma educacional baseada nos Ciclos de Aprendizagem Ubíqua, que funciona em situações com pouco ou nenhum acesso à internet. Isto é possível porque o conteúdo fica armazenado em um aplicativo permitindo estudar em qualquer lugar e a qualquer hora. O objetivo do Educar Nestante é possibilitar o acesso de jovens rurais e de periferia, com pouca ou nenhuma conexão com a internet, ao estudo e melhorar o desempenho integral dos alunos, por meio da metodologia dos Ciclos de Aprendizagem Ubíqua. 

  • Sala de aula invertida - É uma metodologia que propõe processos de aprendizagem que combinam espaços presenciais e online com tempos síncronos e assíncronos. Ao promover uma mudança nos processos tradicionais de ensino, a sala de aula invertida pode promover inovação e maior engajamento de estudantes.
  • Aprendizagem ubíqua - Em geral compreende os processos educativos permanentes que podem acontecer em qualquer hora e local, a partir de dispositivos e tecnologias conectadas entre si e/ou à internet.
  • Educação contextualizada - A perspectiva da educação contextualizada (EC) se contrapõe à ideia de um ensino burocrático e meramente instrumental. A EC assume uma perspectiva multidimensional, contemplando questões presentes no dia a dia dos educandos e da comunidade escolar, compreensão crítica da realidade.

Problemas Enfrentados pelo Projeto

Uma das consequências da pandemia de COVID-19 para a educação no Brasil foi a implantação do ensino remoto, sem qualquer preparação dos professores, dos alunos ou das famílias. O ensino remoto escancarou o tamanho das desigualdades entre pobres e ricos na educação, principalmente, nos quesitos conexão com a internet, acesso a equipamentos e professores capacitados. A consequência imediata foi a perpetuação do ciclo que reproduz a pobreza. No Brasil são 4,1 milhões de estudantes sem acesso à internet. As diferenças regionais no uso da Internet são mais marcadas entre os estudantes da rede pública: enquanto na região Nordeste o percentual de estudantes da rede pública que utilizaram a Internet é de 77%, no sul do país este percentual chega a 95%. No Piauí o ensino médio possuía 273.939 alunos matriculados em 2021, destes 60%, (164.363) estão na região do semiárido e apenas 9% deles possuíam conexão com a internet no início de 2020. O estudo sobre o uso de tecnologias na educação realizado em 2021 pela empresa BlinkLearning, mostrou que o principal desafio da educação brasileira é a baixa conectividade, tanto dos professores, quanto dos alunos. Entre os entrevistados, 61% apontaram a conectividade como fator mais crítico.

Descrição da Atividade

O Educar Nestante é uma aplicação web e mobile. É relativamente simples, e pode ser instalado e usado em equipamentos variados, como celulares Android ou IOS, tablets, notebooks, computadores de mesa, etc. O Educar Nestante tem a função de mediar o processo de ensino e aprendizagem, para que o desenvolvimento de competências e novos conhecimentos seja possível, mesmo em situações de risco social e absoluta vulnerabilidade, como acontece na comunidade Pedra Mole, em Teresina, localidade conhecida pela violência e altos índices de pobreza, por exemplo. A ação prevê o desenvolvimento de aplicativos Android por jovens da comunidade local, desenvolvidos para atender às necessidades reais e básicas da comunidade. Para que isto seja possível, nos primeiros encontros os alunos debatem a realidade do lugar, ouvem depoimentos de pessoas da comunidade, dividem-se em grupo e preparam os projetos que irão desenvolver. Este momento é chamado de Saber Ouvir. Em seguida, acontecem os encontros da fase Saber Falar, quando utilizam o Educar Nestante para estudar a teoria e participar dos desafios, preparando-se para as aulas, planejadas para ajudar os alunos a desenvolver a aplicação mobile planejada. Por último acontecem os encontros conhecidos como Saber Mobilizar, quando os alunos vão descobrir como lançar e tornar útil o aplicativo que foi desenvolvido por eles, sendo possível, eventualmente, monetizar o app. Este processo só é possível porque com o Educar Nestante os alunos conseguem melhorar a concentração, organizar os estudos e debater durante as aulas a melhor solução para o que precisam desenvolver. 

O Ciclo de Aprendizagem Ubíqua do Educar Nestante é composto por cinco etapas, sendo três antes da aula propriamente dita. Na primeira delas há um vídeo do professor com os conceitos gerais do assunto; na segunda etapa o material de apoio didático responsivo e, na terceira, o desafio, que tem a missão de tornar o estudo mais lúdico. A quarta etapa é composta pela própria aula, e existe ainda uma etapa realizada depois da aula, que é a própria atribuição da nota e o registro do desempenho do aluno. Assim, antes da aula o aluno pode baixar o ciclo, assistir ao vídeo do professor, ler o material de apoio didático e realizar o desafio, em uma preparação para o debate e aprofundamento durante a aula. Por isso o Educar Nestante amplia a participação e a assimilação do conteúdo, ajuda o aluno a se organizar para estudar, torna a aprendizagem lúdica e divertida, otimiza o contato com o professor e melhora o desempenho integral do aluno. Existe ainda o Aplicativo do Mestre, no qual o professor prepara o ciclo, responde dúvidas e atribui a nota dos alunos, e o Aplicativo do Aluno, com funcionamento on-line e off-line, leve, intuitivo e responsivo. A plataforma de gestão permite o monitoramento e a avaliação de todo o processo. 

Fotos

Materiais Utilizados

-

Monitoramento e Avaliação

O processo de monitoramento e avaliação acontece em três fases. A primeira é o monitoramento dos indicadores do projeto, o que acontece durante toda a sua execução. Esta avaliação acontece a cada três meses e gera um relatório. A soma destes relatórios trimestrais compõe o relatório anual do Educar Nestante. A segunda fase é a avaliação dos resultados esperados, que acontece imediatamente depois de cada fase da execução, ou de cada curso. Também é registrada no relatório anual, que serve para a preparação do Plano Operativo do ano seguinte e para os parceiros do Educar Nestante. A terceira fase é a avaliação dos efeitos do projeto, o que acontece pelo menos seis meses depois da realização da iniciativa e serve para medir e registrar o que mudou na comunidade ou na vida das pessoas que utilizaram o Educar Nestante. A gestão do conhecimento é continua. Toda a experiência do Educar Nestante é sistematizada a partir de pesquisas, entrevistas e rodas de conversas com os desenvolvedores. Também é realizado o Seminário de Aprendizagem Ubíqua, em parceria com a Secretaria de Educação do Estado do Piauí e do Instituto de Mídias Criativas de Londres, na Inglaterra, culminando inclusive com a elaboração de um curso de aprendizagem Ubíqua para professores do EJA e profissionalização.

Resultados

O Instituto realizou diagnóstico em setembro de 2022 com 180 jovens que utilizam o Educar Nestante nas Escolas Famílias Agrícolas das cidades de Oeiras e São João da Varjota, no semiárido piauiense, e pode constatar alguns resultados qualitativos, como o aumento da participação dos alunos nas aulas, maior assimilação de conteúdos e aumento do desempenho escolar. O Educar Nestante também torna a aprendizagem mais lúdica e divertida e ainda otimiza o contato com o professor.  

Rede Articulada pela Proposta

O desenvolvimento do Educar Nestante envolveu a participação de vários apoiadores e parceiros, como o Fundo de Ajuda Humanitária Swiss Solidarity. Existe uma parceria com a Secretaria de Educação do Estado do Piauí para a realização da disciplina Projeto de Vida nas escolas públicas rurais e a iniciativa é parceira da Fundação Dom Edilberto Dinkelborg e Fundação Padre Danti Civiero, que mantém Escolas de Famílias Agrícolas em território piauiense. Há ainda outros parceiros na oferta de cursos, como a Rede Ponte, a Brucke Le pont (localizada na Suíça) e o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola – FIDA.

Localidades

  • Teresina
.

ODS

Projetos

Educar Nestante

 

Público do Projeto

O Educar Nestante foi criado para atender aos estudantes pobres, moradores da zona rural do semiárido ou das periferias piauienses, que têm acesso a um equipamento de baixa qualidade e pouco ou nenhum acesso à internet. Estudantes dos cursos profissionalizantes, do programa de jovens e adultos e das Escolas Famílias Agrícolas também são contemplados por causa da pedagogia da alternância: nos 15 dias que estes alunos estão em casa, utilizam o Educar Nestante para consultar o material de apoio didático, assistir aulas e responder aos desafios. O perfil do grupo de interesse do Educar Nestante é composto por pessoas negras, homens e mulheres, jovens e adultos, moradores de quilombos, agricultores(as) familiares e pessoas da periferia em situação de pobreza.

Objetivos

O Instituto Ubíqua atua na profissionalização de jovens rurais e de periferia, em comunicação social e novas tecnologias, desde 2011. Neste período, criou os Ciclos de Aprendizagem, baseados na sala de aula invertida, aprendizagem ubíqua e educação contextualizada. Em 2020, a pandemia de Covid-19 escancarou a dificuldade dos alunos para acessar a internet e equipamentos adequados. Foi criado então o Educar Nestante, plataforma educacional baseada nos Ciclos de Aprendizagem Ubíqua, que funciona em situações com pouco ou nenhum acesso à internet. Isto é possível porque o conteúdo fica armazenado em um aplicativo permitindo estudar em qualquer lugar e a qualquer hora. O objetivo do Educar Nestante é possibilitar o acesso de jovens rurais e de periferia, com pouca ou nenhuma conexão com a internet, ao estudo e melhorar o desempenho integral dos alunos, por meio da metodologia dos Ciclos de Aprendizagem Ubíqua. 

  • Sala de aula invertida - É uma metodologia que propõe processos de aprendizagem que combinam espaços presenciais e online com tempos síncronos e assíncronos. Ao promover uma mudança nos processos tradicionais de ensino, a sala de aula invertida pode promover inovação e maior engajamento de estudantes.
  • Aprendizagem ubíqua - Em geral compreende os processos educativos permanentes que podem acontecer em qualquer hora e local, a partir de dispositivos e tecnologias conectadas entre si e/ou à internet.
  • Educação contextualizada - A perspectiva da educação contextualizada (EC) se contrapõe à ideia de um ensino burocrático e meramente instrumental. A EC assume uma perspectiva multidimensional, contemplando questões presentes no dia a dia dos educandos e da comunidade escolar, compreensão crítica da realidade.

Problemas Enfrentados pelo Projeto

Uma das consequências da pandemia de COVID-19 para a educação no Brasil foi a implantação do ensino remoto, sem qualquer preparação dos professores, dos alunos ou das famílias. O ensino remoto escancarou o tamanho das desigualdades entre pobres e ricos na educação, principalmente, nos quesitos conexão com a internet, acesso a equipamentos e professores capacitados. A consequência imediata foi a perpetuação do ciclo que reproduz a pobreza. No Brasil são 4,1 milhões de estudantes sem acesso à internet. As diferenças regionais no uso da Internet são mais marcadas entre os estudantes da rede pública: enquanto na região Nordeste o percentual de estudantes da rede pública que utilizaram a Internet é de 77%, no sul do país este percentual chega a 95%. No Piauí o ensino médio possuía 273.939 alunos matriculados em 2021, destes 60%, (164.363) estão na região do semiárido e apenas 9% deles possuíam conexão com a internet no início de 2020. O estudo sobre o uso de tecnologias na educação realizado em 2021 pela empresa BlinkLearning, mostrou que o principal desafio da educação brasileira é a baixa conectividade, tanto dos professores, quanto dos alunos. Entre os entrevistados, 61% apontaram a conectividade como fator mais crítico.

Descrição da Atividade

O Educar Nestante é uma aplicação web e mobile. É relativamente simples, e pode ser instalado e usado em equipamentos variados, como celulares Android ou IOS, tablets, notebooks, computadores de mesa, etc. O Educar Nestante tem a função de mediar o processo de ensino e aprendizagem, para que o desenvolvimento de competências e novos conhecimentos seja possível, mesmo em situações de risco social e absoluta vulnerabilidade, como acontece na comunidade Pedra Mole, em Teresina, localidade conhecida pela violência e altos índices de pobreza, por exemplo. A ação prevê o desenvolvimento de aplicativos Android por jovens da comunidade local, desenvolvidos para atender às necessidades reais e básicas da comunidade. Para que isto seja possível, nos primeiros encontros os alunos debatem a realidade do lugar, ouvem depoimentos de pessoas da comunidade, dividem-se em grupo e preparam os projetos que irão desenvolver. Este momento é chamado de Saber Ouvir. Em seguida, acontecem os encontros da fase Saber Falar, quando utilizam o Educar Nestante para estudar a teoria e participar dos desafios, preparando-se para as aulas, planejadas para ajudar os alunos a desenvolver a aplicação mobile planejada. Por último acontecem os encontros conhecidos como Saber Mobilizar, quando os alunos vão descobrir como lançar e tornar útil o aplicativo que foi desenvolvido por eles, sendo possível, eventualmente, monetizar o app. Este processo só é possível porque com o Educar Nestante os alunos conseguem melhorar a concentração, organizar os estudos e debater durante as aulas a melhor solução para o que precisam desenvolver. 

O Ciclo de Aprendizagem Ubíqua do Educar Nestante é composto por cinco etapas, sendo três antes da aula propriamente dita. Na primeira delas há um vídeo do professor com os conceitos gerais do assunto; na segunda etapa o material de apoio didático responsivo e, na terceira, o desafio, que tem a missão de tornar o estudo mais lúdico. A quarta etapa é composta pela própria aula, e existe ainda uma etapa realizada depois da aula, que é a própria atribuição da nota e o registro do desempenho do aluno. Assim, antes da aula o aluno pode baixar o ciclo, assistir ao vídeo do professor, ler o material de apoio didático e realizar o desafio, em uma preparação para o debate e aprofundamento durante a aula. Por isso o Educar Nestante amplia a participação e a assimilação do conteúdo, ajuda o aluno a se organizar para estudar, torna a aprendizagem lúdica e divertida, otimiza o contato com o professor e melhora o desempenho integral do aluno. Existe ainda o Aplicativo do Mestre, no qual o professor prepara o ciclo, responde dúvidas e atribui a nota dos alunos, e o Aplicativo do Aluno, com funcionamento on-line e off-line, leve, intuitivo e responsivo. A plataforma de gestão permite o monitoramento e a avaliação de todo o processo. 

Fotos

Materiais Utilizados

-

Monitoramento e Avaliação

O processo de monitoramento e avaliação acontece em três fases. A primeira é o monitoramento dos indicadores do projeto, o que acontece durante toda a sua execução. Esta avaliação acontece a cada três meses e gera um relatório. A soma destes relatórios trimestrais compõe o relatório anual do Educar Nestante. A segunda fase é a avaliação dos resultados esperados, que acontece imediatamente depois de cada fase da execução, ou de cada curso. Também é registrada no relatório anual, que serve para a preparação do Plano Operativo do ano seguinte e para os parceiros do Educar Nestante. A terceira fase é a avaliação dos efeitos do projeto, o que acontece pelo menos seis meses depois da realização da iniciativa e serve para medir e registrar o que mudou na comunidade ou na vida das pessoas que utilizaram o Educar Nestante. A gestão do conhecimento é continua. Toda a experiência do Educar Nestante é sistematizada a partir de pesquisas, entrevistas e rodas de conversas com os desenvolvedores. Também é realizado o Seminário de Aprendizagem Ubíqua, em parceria com a Secretaria de Educação do Estado do Piauí e do Instituto de Mídias Criativas de Londres, na Inglaterra, culminando inclusive com a elaboração de um curso de aprendizagem Ubíqua para professores do EJA e profissionalização.

Resultados

O Instituto realizou diagnóstico em setembro de 2022 com 180 jovens que utilizam o Educar Nestante nas Escolas Famílias Agrícolas das cidades de Oeiras e São João da Varjota, no semiárido piauiense, e pode constatar alguns resultados qualitativos, como o aumento da participação dos alunos nas aulas, maior assimilação de conteúdos e aumento do desempenho escolar. O Educar Nestante também torna a aprendizagem mais lúdica e divertida e ainda otimiza o contato com o professor.  

Rede Articulada pela Proposta

O desenvolvimento do Educar Nestante envolveu a participação de vários apoiadores e parceiros, como o Fundo de Ajuda Humanitária Swiss Solidarity. Existe uma parceria com a Secretaria de Educação do Estado do Piauí para a realização da disciplina Projeto de Vida nas escolas públicas rurais e a iniciativa é parceira da Fundação Dom Edilberto Dinkelborg e Fundação Padre Danti Civiero, que mantém Escolas de Famílias Agrícolas em território piauiense. Há ainda outros parceiros na oferta de cursos, como a Rede Ponte, a Brucke Le pont (localizada na Suíça) e o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola – FIDA.

Vencedor Prêmio LED 2023

.

ODS

Deixe um comentário

Compartilhe esse conteúdo

plugins premium WordPress

Boas-vindas LED

Skip to content